TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

A Saúde Docente, Condições e Carga de Trabalho

Por:   •  7/6/2019  •  Trabalho acadêmico  •  824 Palavras (4 Páginas)  •  16 Visualizações

Página 1 de 4

Bento Matsinhe

Introdução

O presente resumo retrata sobre a saúde docente, condições e carga de trabalho visto que esse tem sido marcado por inúmero desafios, causados de várias situações em o docente se encontra no seu dia-a-dia, desde o local de trabalho até ao seu domicílio. Por conseguinte as actividade docente tem causado problemas de saúde seja física e/ou mental. As actuais mudanças recorrentes no ambiente do trabalho de docência têm sido influenciadas pelas reformas educacionais e por modelos pedagógicas excitados pelas políticas estatais. Nos anos passados os docentes usufruía duma segurança material, com emprego estável, bem como relativo prestígio social. Porem com a expansão das demandas da população por protecção social, houve o crescimento do funcionalismo e dos serviços públicos gratuitos, com maior destaque para a educação.

O autor relata que o estudo foi realizado nas universidades públicas, onde apurou-se que apesar dos esforços dos docentes, verifica-se um estado de dificuldades em gerenciar os processos de trabalho. O que resulta em consequências nefastas, como é o caso da crescente depreciação da actividade docente, devido aos baixos investimentos nas acções de melhoria da educação superior, seja em termos do ambiente de trabalho, da remuneração e o reconhecimento social. Este cenário assenta vários efeitos perversos relacionados à saúde desse trabalhador, que vão desde o desgaste físico e psicológico, absenteísmo e, até mesmo, abandono da profissão.

Saúde Docente, Condições e Carga de Trabalho

O processo de aprendizagem surgiu sob tutela da igreja como forma de instrumentalizar o povo para a leitura das sagradas escrituras. Contudo a actividade docente foi modificada ao longo dos tempos atendendo as necessidades da sociedade em cada fase. Nesta vertente os professores são submetidos a condições adversas o que tem resultado em abandono dessa profissão. Os docentes que persistem na profissão, têm apresentado sinais de adoecimento físico ou psicológico. Ao longo dos tempos percebeu-se que muitas das características do trabalho docente deste momento, associavam-se directamente aos factores geradores de problemas físicos e psíquicos. A título de demostração: o pó de giz, provoca irritações e alergias na pele e nas vias respiratórias.

Alguns autores afirmam que impuseram muitas atribuições ao professor que ultrapassam seus interesses e carga horária, ao mesmo tempo este profissional tem sido excluído das decisões institucionais, sendo percebido somente como um executor de propostas elaboradas por outros. O que muitas vezes leva a diminuição do tempo do professor para efectuar seu trabalho, actualizar-se profissionalmente e também priva do lazer e convívio social. Ademais outras actividades são acrescidas, como: conciliar actividades de ensino, pesquisa e extensão, a produção científica e actividades administrativas. O que repercute estilo no estilo de vida precários, com a presença de muitos problemas de saúde, como transtornos músculo-esqueléticos, respiratórios e mentais.

A cargas de trabalho representam um conjunto de esforços desenvolvidos para atender as exigências das tarefas, abrangendo os esforços físicos, cognitivos e psicoafetivos (emocionais) que são traduzidos como desgaste, na capacidade potencial corporal e psicológica dos trabalhadores. O

...

Baixar como (para membros premium)  txt (5.7 Kb)   pdf (111.1 Kb)   docx (9.1 Kb)  
Continuar por mais 3 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com