TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Qualidade De Vida Na Agricultura De Subsistencia

Por:   •  19/3/2013  •  4.453 Palavras (18 Páginas)  •  770 Visualizações

Página 1 de 18

UNIVERSIDADE POTIGUAR – UNP

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E PESQUISA

ESCOLAS DE ENGENHARIA E CIÊNCIAS EXATAS

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SEGURANÇA NO TRABALHO

EDVAGNO MENDES DE SOUSA

JOSÉ CASSIANO NETO

QUALIDADE DE VIDA NA AGRICULTURA DE SUBSISTÊNCIA

(AGRICULTURA FAMILIAR)

MOSSORÓ/RN

2012

EDVAGNO MENDES DE SOUSA

JOSÉ CASSIANO NETO

QUALIDADE DE VIDA NA AGRICULTURA DE SUBSISTÊNCIA

(AGRICULTURA FAMILIAR)

Artigo apresentado a Universidade Poti-guar - UnP como parte dos requisitos para obtenção de nota da disciplina Projeto In-terdisciplinar III.

ORIENTADOR(A): Profª. MS. Erica Louise

MOSSORÓ-RN

2012

RESUMO

Nos últimos anos, os países têm intensificado a procura para melhorar seu desem-penho e com isso melhorar as condições de vida da população em geral. Nesse contexto a agricultura familiar como forma de produção sustentável vem sendo intensamente estudada, impulsionada pela discussão corrente sobre desenvolvimento sustentável, como instrumento de renda no meio rural. Dentro desse enfoque a presente pesquisa teve por objetivo estudar a qualidade de vida da agricultura familiar em propriedades do município de Upanema e Mossoró, no Estado do Rio Grande do Norte, em 2012. Os dados utilizados foram oriundos da aplicação de entrevistas. A amostra pesquisada foi de 60 produtores, abrangendo 30 propriedades realizadas nos meses de Setembro e Outubro de 2012.

PALAVRAS-CHAVE: Agricultura familiar; Qualidade de Vida.

INTRODUÇÃO

Nas últimas décadas os países de um modo geral têm se empenhando em promover o desenvolvimento econômico. Independentemente da posição que ocu-pam, a partir da percepção do paradigma entre crescimento e desenvolvimento eco-nômico, uma nova ordem passou a imperar não mais sustentada no crescimento do Produto Interno Bruto ou da renda nacional per capita, mas na alocação desses re-cursos nos diversos setores socioeconômico, político, cultural entre outros, que ga-rantam a promoção de melhores condições de vida para a população como um todo.

No Brasil, o processo de desenvolvimento assentado na “modernização da agricultura” ocorrido a partir da década de sessenta com o intuito de promover a melhoria das condições de vida dos trabalhadores rurais, apesar de ter conseguido ótimos resultados em termos de aumento da produção total e da produtividade agrícola não alterou a estrutura fundiária e nem tão pouco a distribuição de renda, o que contribuiu para aumentar a miséria no meio rural. (PALMEIRA, LEITE, 2002).

Os mesmos autores afirmam que as contradições advindas desse processo acentu-aram o êxodo rural, ampliaram a exploração da força de trabalho nas atividades agrícolas, intensificaram a superexploração nas pequenas propriedades, promove-ram a concentração agroindustrial, incentivaram o uso de tecnologias que degrada-ram o meio ambiente, afetam a saúde dos trabalhadores e não conseguiram garantir a qualidade de vida, privando os produtores e suas famílias do acesso a serviços essenciais (DESER, 1997).

Tavares (1996), afirma que as transformações ocorridas a partir deste contexto no campo brasileiro, aliadas à consolidação do processo político-ideológico inviabiliza-ram o modelo de reforma agrária concebido nos anos sessenta e setenta, dentro da concepção “reformista”, que destacava a “ruptura do processo político

...

Baixar como (para membros premium)  txt (30.2 Kb)  
Continuar por mais 17 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com