TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

RELATÓRIO DE ESTAGIO HISTORIA

Por:   •  13/4/2019  •  Relatório de pesquisa  •  4.896 Palavras (20 Páginas)  •  6 Visualizações

Página 1 de 20

[pic 1][pic 2]

             

              UNIVERSIDADE PITÁGORAS UNOPAR

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO

HISTÓRIA

MATTHAUS PEREIRA DIAS BARBOSA

ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO I –

– OBSERVAÇÃO NAS SÉRIES FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

[pic 3]

Governador Valadares

2017

MATTHAUS PEREIRA DIAS BARBOSA

ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO I –

OBSERVAÇÃO NAS SÉRIES FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL.

Trabalho apresentado ao Curso de História da UNOPAR - Universidade Norte do Paraná, para a disciplina  Estágio Curricular Obrigatório I (100 horas)

Professor Orientador: Alisson Cardoso de oliveira

Tutor a distância: Carlos Roberto Ballarotti

Tutor presencial: Gizele Viana da Silva Almeida 

Pólo de Apoio Presencial: UNOPAR GV

 Governador Valadares

2017


1-ESTUDO DE ARTIGO

A partir do estudo do artigo da autora Cainelli (2011) “ Entre continuidades e rupturas: uma investigação sobre  o ensino e apredizagem da história do quinto para o sexto ano do Ensino Fundamental.” Analisamos  a consequências da transição do aluno e percebemos que a finalização do primeiro ensino fundamental traz um sintimento de tarefa cumprida, apto para a nova fase que virá onde será atribuída novas materias e além do mais há uma mudança maior que é a mudança de instituição. A primeira fase do ensino fundamental é de responsabilidade do município e a segunda fase, a fase final do ensino fundamental é de responsabilidade do estado que a escola se situa.

Essa transição não é favoravel para o aluno, pelo fato que há uma diferença metodológica de ensino, estrutura das aulas e da escola o que no fim irá atrapalhar o desenvolvimento do aluno.

Essa ruptura que o aluno passa de forma abrupta pode se evidenciar pela forma que a instituição escola municipal foi se efetivando históricamente, sem projetos de articulação entre município e estado nas questões pedagógicas.

O aluno quando transita de um sistema para outro praticamente inicia uma nova fase de sua vida escolar, um novo ambiente que desafia a capacidade do aluno, desconfiando e atribuindo diagnósticos para saber o nível que o aluno se encontra e essa desconfiança fica clara com a relação do aluno iniciante nesse novo sistema com os alunos veteranos e os novos professores.

A mudança que o aluno é submetido é tão grande que ele muda também o olhar sobre as disciplinas e em especial devemos destacar o olha diferenciado que o aluno pode vir a ter sobre a disciplina história e o seu relacionamento com a mesma, com o material didático e com o professor da respctiva matéria.

A disciplina de história é exposta de maneira diferente e o aluno recebe de forma diferente também. Os professores da fase inicial do ensino fundamental não encaram a história como uma ciência, fazendo assim com que suas aulas não tenha o conteúdo de história especificado, mas sim reflexo de história em suas aulas que muitas das vezes nem é anunciado que é história.

Quando o aluno chega ao ensino fundamental II, a fase final do ensino fundamental, tem um choque muito grande, existe um professor específico de história e esse professor utiliza do livro didático para desenvolver tudo que é pertinente a aula.

O livro é trabalhado pelo professor como um material que contém verdades absolutas, onde os alunos devem consultar o tempo todo, atrapalhando assim que haja um diálogo entre o professor e os alunos e uma construção mútua de conhecimento, ou seja uma relação professor-aluno, essa falta de interação impossibilita o aluno a fazer associações com seus conhecimentos prévios e que   use sua imaginação para não so repetir o que os autores dizem, mas construir sua resposta através do que estudou, usando o material lido como base e não como algo absoluto e assim se desenvolver pensando sobre história. Em história não tem verdade, mas sim verdades. O professor deve rever seus metódos para melhor desenvolvimento dos alunos e instigar mais a subjetividade dos alunos.

O pensamento histórico é de extrema importância para este processo. Para um bom desenvolvimento do ensino de história é preciso de boa referência teórica e metodológica de história como ciência. O entendimento do desenvolvimento do pensamento histórico é necessario desde os anos iniciais do ensino fundamental e desenvolvendo assim a capacidade de pensar históricamente, não trabalhar história de forma positivista, concreta, com datas e fatos inquestionáveis, mas sim de forma subjetiva , enfatizando o posicionamento particular do aluno, deixando com que ele se erga através das ferramentas que lhe foram dadas.  

...

Baixar como (para membros premium)  txt (32.4 Kb)   pdf (170.7 Kb)   docx (44.6 Kb)  
Continuar por mais 19 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com