TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

RESENHA - OS REIS FILÓSOFOS

Por:   •  21/12/2017  •  Resenha  •  1.273 Palavras (6 Páginas)  •  892 Visualizações

Página 1 de 6

                                 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ - UFPI[pic 1][pic 2][pic 3][pic 4][pic 5]

     CENTRO DE EDUCAÇÃO ABERTA E A DISTÂNCIA – CEAD                        

              COORDENAÇÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM HISTORIA                                    

                                 DISCIPLINA: HISTÓRIA MODERNA II

                              ALUNO: SALES JUNIOR RODRIGUES VIEIRA

                                           POLO: CASTELO DO PIAUÍ

                                       

                               Resenha descritiva

                                                             Os Reis-Filósofos?

                                                             

                                                                       

                                                           

Castelo do Piauí

                                              2016                                              

REFERÊNCIAS:

Luiz R. Salinas Fortes, O Iluminismo e os Reis Filósofos. 1982.

                                 

                                       OS REIS-FILÓSOFOS?

               O texto “Os Reis-Filósofos” de Luiz R. Salinas Fortes, presente também no texto “A Formação do Mundo Moderno”, inicia com uma frase de La Mettrie: “Tudo o que desejo é que aqueles que seguram o leme do Estado sejam um pouco filósofos; tudo o que penso é que não saberão sê-lo demasiado.” Cuja esta frase servia de inspiração para alguns monarcas europeus.

                 No segundo parágrafo os historiadores do século XIX definiram que “despotismo esclarecido” é quando as boas intenções primam definitivamente às realizações efetivas. Na ação política destes déspotas esclarecidos é notável aspiração das ações políticas do Iluminismo.

                No terceiro parágrafo do texto, é apresentado o rei Frederico II da Prússia, o mais representativo quando se fala dos “déspotas esclarecidos”. Frederico, o Grande, como também é chamado, um rei filósofo que até deixou uma curiosa obra Teórico-filosófica e que tinha prestígio com os filósofos e homens de letras da época de seu reinado. Vários autores como d’Alembert e Emanuel Kant, citam o prestígio de seu reinado usando a filosofia como fonte de inspiração, onde segundo Kant o século XVIII poderia ser chamado de Século das Luzes ou século de Frederico. O rei Frederico se torna assim tão importante e de grande admiração devido de além de ser rei, é um filósofo, ele escreveu as seguintes obras: Anti-Machiavel, História do Meu Tempo, Testamento Político e Ensaio sobre as Formas de Governo e sobre os Deveres dos Soberanos.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (4.1 Kb)   pdf (99.1 Kb)   docx (23.4 Kb)  
Continuar por mais 5 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com