TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

As propostas de desenvolvimento, para promover a integração de alunos com necessidades especiais

Trabalho acadêmico: As propostas de desenvolvimento, para promover a integração de alunos com necessidades especiais. Pesquise 785.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  24/9/2013  •  Trabalho acadêmico  •  1.142 Palavras (5 Páginas)  •  340 Visualizações

Página 1 de 5

INTRODUÇÃO

A principal finalidade deste trabalho é desenvolver propostas que facilitem a inclusão de alunos com necessidades especiais.

O professor deve ter uma postura investigativa, para compreender a dificuldade deste aluno, sugerindo atividades que facilitem o convívio entre o aluno e os demais colegas, seu relacionamento com os professores, enfocando também, seu desenvolvimento e aprendizagem.

DESENVOLVIMENTO

A escola é um dos espaços socioculturais em que as diferentes presenças se encontram, essas diferenças tem sido trabalhadas sobre diversos aspectos. Como nos diz Gonçalves e Silva (1996), educar para a diversidade é fazer das diferenças um trunfo, explorá-las na sua riqueza, possibilitar a troca, proceder como grupo, entender que o acontecer humano é feito de avanços e limites. E que a busca do novo, do diverso que impulsiona a nossa vida deve nos orientar para a adoção de práticas pedagógicas, sociais e políticas em que as diferenças sejam entendidas como parte de nossa vivência, e não como algo exótico e nem como desvio ou desvantagem.

Podemos dizer que a cooperação em sala de aula pode ser um fator importante para a inclusão das pessoas com deficiência, pois permite interação e troca entre os alunos. O desenvolvimento de algumas estratégias, pode ser decisivo para criar um ambiente de cooperação em que aqueles alunos que tem mais habilidades em alguma matéria, possam ajudar aqueles que tem menos habilidades.

Na aprendizagem cooperativa os alunos trabalham juntos para atingir determinados objetivos. A descoberta de interesses mútuos permite a eles explorar assuntos junto com os colegas que tem interesses comuns. A extratégia de aprendizagem cooperativa melhoram as atitudes, diante das dificuldades dos seus colegas com ou sem deficiência e simultaneamente eleva a auto-estima de todos.

“As escolas devem ajustar-se a todas as crianças, independentemente das suas condições físicas, sociais, linguísticas ou outras. Neste conceito, devem incluir-se crianças com deficiência ou superdotadas, crianças de rua ou crianças que trabalham, crianças de populações imigradas ou nômades, crianças de minorias linguísticas, étnicas ou culturais e crianças de áreas ou grupos desfavorecidos ou marginais”. Declaração de Salamanca, UNESCO, 1994. Segundo essa declaração, as escolas regulares, devem se adequar e combater as atitudes descriminatórias, com a finalidade de formar indivíduos solidários, construindo uma sociedade inclusiva atingindo educação para todos.

A escola que recebe uma inclusão precisa estar preparada fisicamente e criar uma boa metodologia para orientar seus profissionais a realizarem um bom trabalho. Sua extrutura precisa ser adaptada para a locomoção de portadores de deficiências físicas e outras.

O convívio com o meio é fundamental para a construção do conhecimento, contudo, tudo aquilo que o indivíduo aprende nesta interação depende do nível de suas extruturas cognitivas. O professor deve transmitir para os alunos conhecimentos, deve ser um mediador, com respeito as diversidades, aceitando e aprendendo com elas.

O professor precisa esclarecer aos outros alunos que eles devem respeitar as diferenças, ajudando o aluno “inclusão” a se adaptar, a se sentir querido e fazer parte do grupo, alimentando diariamente pelos meios de comunicação, que pretendem ensinar o que é certo, o que é errado, sem falar , é claro, nos instrumentos tradicionais de ensino da língua, ou seja, a gramática normativa e os livros didáticos. Quando as crianças compreendem que toda criança é diferente, deixam de fazer brincadeiras cruéis e podem se tornar amigos.

A escola deve criar um ambiente saudável que favoreça a compreensãoentre os indivíduos e que constrói um espaço de respeito entre as pessoas.

Propostas de ações pedagógicas elaborando métodos de pesquisa que permita entender como ocorre a construção de estruturas necessárias para a elaboração do conhecimento humano. O pedagogo cabe aqui buscar formas de despertar nos demais a importância de se valorizar e aceitar a contribuição de cada pessoa, para a realização do trabalho coletivo nos espaços educativos.

A prática da inclusão social, baseia-se em princípios diferente do convencional, consideração das diferenças individuais, valorizando cada pessoa, convivência dentro da diversidade humana e aprendizagem por meio de cooperação.

A orientação pedagógica da escola, precisa fazer um diagnóstico de todas a dificuldades e necessidades deste aluno, encaminhando primeiramente para uma especialista em fonoaudiologia para que possa ser trabalhada as trocas de letra, para que os erros ortográficos

...

Baixar como (para membros premium)  txt (7.6 Kb)  
Continuar por mais 4 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com