TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Análise Do Filme Como Treinar Seu Dragão A Luz Da Teoria Comportamental

Por:   •  5/9/2013  •  2.039 Palavras (9 Páginas)  •  839 Visualizações

Página 1 de 9

FÍSICA OU FILOSOFIA QUÂNTICA?

Além dos aspectos da Física Quânticos puramente científicos que requerem, para serem compartilhados ou desfrutados em aplicações tecnológicas e de ter representações matemáticas e demonstradas através de experimentos repetitivos por qualquer um, vendo também outros aspectos difíceis de representar matematicamente e de demonstrar com os tradicionais métodos científicos, por isto podem ser considerados filosóficos ainda se estão em condições de revelarem-se importantes aspectos da Realidade e fornecer preciosos pontos de reflexões. Vejamos agora como conceberão a Realidade alguns daqueles que fizeram indagações nos seus aspectos mais íntimos, procurando deduzir de algumas das suas afirmações. Comecemos com Max Planck.

A Natureza é Privada de Leis Físicas

Max Planck, Premio Nobel em 1918, foi o pai e fundador da teoria dos quantum e da física quântica. Descobriu entre outras coisas, que as partículas elementares e os átomos tinham e si trocavam energias segundo múltiplos inteiros de quantidades elementares, quantidades de energia apontadas, por ele quantificadas e expressas matematicamente. Planck deduziu que a natureza fosse provada de leis físicas e que o homem produziria somente aproximações deduzindo-as dos comportamentos que conseguia observar, que fossem, portanto inoportunos “supor que existem leis físicas e que estão existindo ainda ate agora, ou que continuarão a existir em forma análoga no futuro.” Deduzira também que a ciência era incapaz de revelar os mistérios fundamentais da natureza, “isto porque, em ultima analise, nos mesmos somos partes do enigma que estamos procurando resolver.” Que qualquer descoberta cientifica nova antes de triunfar, porque os seus opositores se convenceram e trouxeram para a luz,” puderam fazer somente, “por que no final morreram e nasceu uma nova geração em que os novos conceitos pareciam familiares.”

Este conceito é muito significativo porque exprime dificuldades que os seres humanos encontram ao enfrentar qualquer mudança no seu modo de crer e pensar a Realidade, tanto que somente a morte de quem acredita numa velha “verdade” pode libertar os freios das afirmações de uma nova “verdade” e para poder finalmente triunfarem deve ter alguém para sustentá-la: Uma nova geração que enquanto nova ou menos condicionada às velhas crenças e esta aberta a acreditar nas novas.

Observadores Conscientes

Niels Bohr Premio Nobel em 1922 foi o pai co-fundador da física quântica e das interpretações de Copenhagen, segundo o qual as únicas coisas reais são os resultados dos experimentos, assim como tenham mensuradas as observações “conscientes e macroscópicas” “É errado pensar que o escopo da física seja de encontrar com a natureza. A Física considera aquilo que podemos dizer conserva para a natureza.” Por que, aquilo que os físicos estavam descobrindo da Realidade era verdadeiramente desconcertante e incompreensível, antes de procurar compreender o como e o porquê da natureza, eles puderam somente se limitar a exprimir opiniões relativamente àquilo que observaram opiniões humanas que poderiam ser totalmente independente daquilo que a natureza é. Bohr estendeu o conceito de interação através da troca de fótons, dos vetores mediadores, ou dos atos de mensuração, as ações de pensamentos, “se quiser interpretar a mecânica quântica deve-se considerar o pensamentos como uma essência física.” Foi notado que Bohr deduzira que a arvore que tinha no seu jardim existia manifestando-se realmente apenas quando alguém a olhava, nos momentos que ninguém a olhava desaparecia no nada, talvez por existir somente de modo potencial, possibilistico ou latente; poderia ser uma arvore ou qualquer outra coisa, mas, segundo ele, a sua manifestação “real” ocorreria somente quando alguém interagisse com ela observando-a. Bohr levantou a hipótese de que a Realidade, como nos acreditamos que seja, existe somente porque alguns inteligentes e macroscópicos interagiram com ela. “Consciente e macroscópico” è evidentemente o ser humano, mas se pode deduzir que também um elétron e um fóton podem ser conscientes, dependendo de tudo o que se entenda por consciência. Levando, se podemos deduzir como tal, por um cientista do seu calibre, deduzindo que todos os seres humanos acreditam em viver agora sob o efeito da sua consciência, ou seja, da sua interação com a Realidade. Antes que a interação entre as partículas, o verdadeiro protagonista é “quem” esta interagindo com estas partículas.

Qualquer

...

Baixar como (para membros premium)  txt (12.4 Kb)  
Continuar por mais 8 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com