TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Atps De Psicologia

Por:   •  19/11/2014  •  1.857 Palavras (8 Páginas)  •  111 Visualizações

Página 1 de 8

Teorias Psicológicas e suas Implicações na Pratica Educacional”

Teorias Psicológicas

Psicanalise

Autores

Freud

Principais conceitos

A psicanálise é uma teoria que parte por base de que nosso comportamento é regido por desejos inconscientes e a análise deve ser realizada através do reconhecimento dos instintos, anseios e impulsos que fornecem a energia para as ações individuais.

Destacando também as ansiedades e os medos e tratando o inconsciente como fonte de energias, por desejos reprimidos e depósito de velhas lembranças. O objeto de estudo da psicanálise é o inconsciente e a maneira de acessa-lo é através da associação livre. Freud realizou muitas descobertas de sua teoria fazendo autoanálise, ele analisou rigorosamente seus sonhos e os de seus pacientes.

Conceitos:

ID: desejo libidinal, energias psíquicas, pulsões, é regido pelo princípio do prazer.:

Super ego: regras morais que impedem certos desejos, proibições, limites e autoridade.

EGO: ele é resultante da tentativa de estabelecer um equilíbrio entre os desejos libidinais do id e as exigências da realidade e ordens morais do superego. Na verdade todo mundo quer é viver o id, o tempo todo, mas há o superego para nos proibir.

Consciente: é apenas uma parte de nosso funcionamento mental, é a parte que temos consciência do que pensamos, do que sentimos, do que falamos e do que fazemos. Contém as ideias que estamos cientes no momento.

Pré-Consciente: é constituída por ideias que podem voltar a se tornar consciente se direcionarem a atenção para elas, podem ser percebidas nos sonhos ou nos atos falhos.

Inconsciente: é uma parte nossa que não temos consciência, nele estão desejos reprimidos, conteúdos censurados, pulsões inacessíveis à consciência. O inconsciente afeta nosso dia-a-dia, ele influencia nossos comportamentos e ações, sem que a gente perceba. contêm os elementos instintivos e as idéias reprimidas que são e impedidas de se tornarem conscientes.

Freud relaciona a formação da personalidade com o processo do desenvolvimento do instinto sexual, que – segundo Freud - se inicia no primeiro ano de vida e as diferenças individuais são marcadas pelos desenvolvimentos dos estágios psicossexuais e suas características. Se não forem resolvidos adequadamente os problemas de cada fase, ou seja, se não experimentarem a satisfação adequada nas atividades de cada fase, a pessoa pode se tornar fixada por certa fase e procurar durante o resto da vida obter o prazer de tal fase.

Ele divide o desenvolvimento da personalidade em cinco fases:

a) Fase Oral: no primeiro ano de vida a criança satisfaz sua necessidade sexual por meio da boca e obtém o prazer através da sucção. Uma fixação nessa fase pode tornar a pessoa num fumante inveterado, num guloso ou num tagarela;

b) Fase Anal: no segundo e terceiro ano de vida a criança se satisfaz através da expulsão das fezes ou em retê-las. Uma fixação nesta fase pode explicar obsessividade com limpeza e arrumação, avareza e outros;

c) Fase Fálica: no terceiro e quarto ano de vida a criança descobre seu sexo e experimenta o prazer ao manusear os órgãos genitais. Nesse estágio, Freud situa o Complexo de Édipo, onde a criança ama o genitor do sexo oposto e sente ciúmes do genitor do mesmo sexo pois lhe impede o amor daquele e, para resolver o conflito e aliviar a ansiedade, a criança se identifica com o genitor do mesmo sexo através da incorporação dos valores sociais de papel masculino ou feminino. Quando o conflito edipiano não é resolvido, pode se causar neuroses futuras;

d) Fase da Latência: do quinto ao décimo segundo ano de vida, se desenvolve geralmente nos anos de escola, onde há uma supressão dos impulsos sexuais que são reprimidos, a construção do pensamento lógico e o controle da vida psíquica pelo princípio da realidade;

e) Fase Genital: do décimo segundo ano em diante, onde o adolescente deixa de ser para si mesmo o objeto de interesse e se volta para outras coisas e pessoas, iniciam-se as ligações heterossexuais, o interesse pelas atividades humanas adultas e seu papel no mundo social.

Visão pedagógica sobre a aprendizagem:

Para Freud a Psicanálise não serve de fundamento para a Pedagogia; não

...

Baixar como (para membros premium)  txt (12.3 Kb)  
Continuar por mais 7 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com