TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Resumo Comportamento Operante

Por:   •  6/6/2017  •  Trabalho acadêmico  •  975 Palavras (4 Páginas)  •  509 Visualizações

Página 1 de 4

Capítulo 03 – Aprendizagem pelas Consequências: O Reforço

  1. Comportamento Operante: R->C : É o comportamento que modifica (que opera sobre) o ambiente e é afetado por suas modificações. Quando falamos, modificamos o comportamento de outras pessoas.
  2. Reforço: É um tipo de consequência do comportamento que aumenta a probabilidade deste comportamento voltar a acontecer/ocorrer. Se faço determinado pedido e sou prontamente atendido, as chances de voltarmos a fazer o mesmo pedido no futuro se tornam maiores.
  3. Extinção Operante: É a suspensão de uma consequência reforçadora anteriormente produzida por um comportamento. Tem como efeito o retorno da frequência do comportamento ao seu nível operante. Se nossos pedidos e nossas ordens não são atendidas, provavelmente deixaremos de pedir e ordenar desta maneira.
  4. Modelagem: É uma técnica usada para ensinar um comportamento novo por meio de reforço diferencial de aproximações sucessivas do comportamento-alvo. Pais e parentes reforçam o balbuciar dos bebês, exigindo cada vez mais sequências de sons mais parecidos com os sons das palavras da língua que falam.

Capítulo 04 – Aprendizagem pelas consequências: O Controle Aversivo

  1. Controle aversivo: Controle do comportamento por contingências de reforço negativo e punição (positiva e negativa).
  2. Reforço negativo: Consequência do comportamento que aumenta sua frequência pela retirada ou pela evitação de um estimulo aversivo. Mentir geralmente é um comportamento mantido por reforço negativo. Evitamos inúmeros estímulos aversivos mentindo.
  3. Estimulo aversivo: Estímulo cuja retirada ou evitação aumenta a frequência do comportamento, ou cuja adição reduz a frequência do comportamento que o produziu. Se você mente, apanha, passando a mentir menos. Para você, apanhar é um estímulo aversivo.
  4. Comportamento de fuga: Comportamento mantido por reforço negativo, pela remoção do estímulo aversivo do ambiente. Você está em uma sessão terapêutica e o psicólogo só faz perguntas que eliciam em você respostas de ansiedade extrema. Você se levanta e vai embora da sessão.
  5. Comportamento de esquiva: Comportamento mantido por reforço negativo, pela evitação do contato com um estímulo aversivo. Após o evento (fuga), você sempre inventa uma desculpa para não ir à terapia.
  6. Punição negativa tipo 1: Consequência do comportamento que reduz sua frequência pela adição de um estímulo aversivo ao ambiente.  Joãozinho chega em casa embrigado e toma uma bela surra de seu pai, por ter bebido. Em seguida, para de beber.
  7. Punição negativa tipo 2: Consequência do comportamento que reduz sua frequência pela retirada de um estímulo reforçador (de outros comportamentos) do ambiente. Joãozinho chega em casa embriagado e, por conta disso, perde a mesada do mês por conta disso. Assim, para de beber.
  8. Contracontrole: Comportamento que impede o comportamento de um agente punidor. Joãozinho dorme na casa dos amigos quando saiu e ficou embriagado. Sua conduta impediu a atuação de seus pais, que o puniriam.

Capítulo 6 – Controle de estímulos: o papel do contexto

  1. Controle de estímulos: é o controle exercido sobre o comportamento por estímulos antecedentes a ele: o contexto em que o comportamento ocorre. Contar piadas na frente dos amigos, não o fazendo na frente dos pais e professores.
  2. Estímulo discriminativo: (Sd): Estímulos antecedem uma resposta e fornecem ocasião para que ela ocorra. Está correlacionado com o reforço. Ao ver o sinal vermelho, o motorista freia o carro.
  3. Estímulo delta (SΔ) Estímulo que antecede uma resposta e fornece a ocasião para que ela não ocorra. Está relacionado com a extinção. O aumento do valor do dólar faz com que o indivíduo desista de sua viagem para o exterior.
  4. Operante discriminativo: Comportamento operante que está também sob o controle de estímulos antecedentes. Responder a uma pergunta após ela ser formulada.
  5. Treino discriminativo: Procedimento utilizado para estabelecer o controle de estímulos: Consiste em reforçar o comportamento na presença do estímulo discriminativo SD e extingui-lo na presença do estímulo delta SΔ. Ganhar pontos ao ler corretamente uma palavra e não ganhar pontos ao lê-la incorretamente.
  6. Classes de estímulo: Conjunto de estímulos que fornecem contexto (ocasião) para uma mesma resposta.
  7. Classes de estímulos por generalização: São classes de estímulos baseadas em semelhanças físicas. Dizer ser humano na presença de qualquer pessoa branca, negra, alta, baixa, etc...
  8. Classes de estímulos funcionais: São classes de estímulos baseadas na função de cada estímulo pertencente a ela.  Dizer instrumento musical na presença de qualquer objeto que sirva para tocar música.
  9. Abstração: Responder sob o controle de determinadas propriedades de um estímulo e não sob o controle de outras. Dizer mesa na presença de qualquer mesa independentemente da cor, tamanho, textura, etc.
  10. Cadeia de respostas: Sequência de respostas necessárias para a produção de um reforçador. Ver um garçom, chamar o garçom e, na presença dele, fazer o pedido.
  11. Reforço condicionado: Estímulo que adquire propriedade reforçadora por aprendizagem (após tornar-se Estímulo Discriminativo). Pode ser simples ou generalizado. Dinheiro é um reforçador condicionado generalizado, por funcionar como ocasião para vários comportamentos.

Capítulo 7 – Esquemas de reforçamento

  1. Esquemas de intervalo: Esquemas nos quais o reforço depende da passagem de um período de pelo menos uma resposta. Podem ser de intervalo fixo ou variável.  Abaixar a caixa de e-mails e encontrar novas mensagens.
  2. Esquemas de tempos: Esquemas em que o reforço não é contingente à resposta. Usar uma camiseta velha e o time ganhar o jogo.
  3. Padrão de respostas: Forma característica como o organismo emite uma determinada resposta. Timidez.
  4. Resistência à Extinção: Tempo ou número de ocorrências de uma resposta necessário para que ela se extinga. Prestar prova da OAB por seis vezes, não passar e continuar tentando.
  5. DRL e DRH: Esquemas reguladores de resposta. DRL: baixas taxas; DRH: altas taxas. Na datilografia, a velocidade mostra-se sempre importante.
  6. DRO: Reforço diferencial de outros comportamentos. Todos os comportamentos, exceto o alvo, são reforçados. Reforçar qualquer verbalização, exceto contar vantagem.
  7. Esquemas compostos: Esquemas nos quais dois ou mais esquemas simples estão presentes: Os principais são múltiplos, encadeados e concorrentes.
  8. Lei da Igualação: Lei comportamental que estabelece a relação de proporção entre o comportamento e reforço. Ler três vezes mais livros de ficção que poesia.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (6.7 Kb)   pdf (86 Kb)   docx (14.2 Kb)  
Continuar por mais 3 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com