TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Teste de Fluência Verbal

Por:   •  9/3/2019  •  Monografia  •  4.215 Palavras (17 Páginas)  •  41 Visualizações

Página 1 de 17

Marcilene Anacleto Melgaço

Trabalho de Conclusão de Curso (TCC)

Estudo de Confiabilidade do Teste de Fluência Verbal Alternada

Belo Horizonte

2019


Marcilene Anacleto Melgaço

Trabalho de Conclusão de Curso (TCC)

Estudo de Confiabilidade do Teste de Fluência Verbal Alternada

Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), apresentado à Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais como requisito básico para conclusão do curso de Psicologia.

Professor Orientador: Dr. Jonas Jardim de Paula

Belo Horizonte

2019


Revista para submissão: Neuropsicologia Latinoamericana

 

Categoria: Artigo Original

 

Título: Estudo de confiabilidade do Teste de Fluência Verbal Alternada

 

Autores: Marcilene Anacleto Melgaço¹; Jonas Jardim de Paula²

 

Afiliação: 1 Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais, Belo Horizonte MG, Brasil; ² Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte MG, Brasil

 

Título Abreviado: Confiabilidade do Teste de Fluência Verbal Alternada

 

Título em inglês: Alternate Verbal Fluency Test Reliability Study

 

 


RESUMO:

INTRODUÇÃO: O Teste Fluência Verbal alternada é destinado à avaliação dos processos de fluência das palavras. Ele é composto por três etapas, onde o indivíduo submetido ao teste deve pronunciar o máximo de palavras que se recordar nas categorias frutas, animais e por último, à alternância de ambas as categorias. Para realizar o Teste de Fluência Verbal alternada, o sujeito precisa ter habilidade que envolve aspectos cognitivos relacionados à linguagem (expressiva, capacidade articulatória), acesso ao sistema de memória semântica, funções executivas (sobretudo flexibilidade cognitiva e memória de trabalho) e velocidade de processamento (DE PAULA, et al., 2015). A fluência do Teste de Fluência Verbal está relacionada a aspectos neurológicos, na capacidade do indivíduo em se comportar num padrão estabelecido de regras, no caso do TFV, produzir o maior número de palavras no período de sessenta segundos para cada uma das categorias (animais, frutas e as categorias animais e frutas de forma alternada), evitando repetições e/ou variações dessas categorias (ex: cachorro, cadela; boi, vaca). Proveniente de uma habilidade cognitiva complexa, a linguagem envolve processamento nos níveis semântico, fonético, fonológico, morfológico, lexical, sintático, pragmático e prosódico (FUENTES, et al., 2014). METODOLOGIA: Foram avaliados 44 participantes brasileiros de ambos os sexos, com idade mínima de 18 anos, com qualquer grau de escolaridade. O critério de inclusão dos participantes ao estudo foi possuir o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE) assinado. Cada um dos participantes foram  submetidos a   quatro aplicações do  Teste de Fluência Verbal Alternada, sendo estas aplicações: 1ª aplicação, reteste em 15 dias, 30 dias e 45 dias. O critério de exclusão da amostra se deu aos participantes que não fossem submetidos ao reteste em até 5 dias da data agendada. Sendo assim, dos 44 participantes, 42 foram submetidos a 1ª aplicação e reteste de 15 dias, 33 participantes foram submetidos a 1ª aplicação, reteste de 15 dias e reteste de 30 dias e 33 participantes foram submetidos aos 4 momentos de aplicação do teste (1ª aplicação, reteste 15 dias, reteste 30 dias e reteste de 45 dias). RESULTADOS: A tabela 1 mostra os dados descritivos dos Testes de Fluência Verbal Alternada nos quatro tempos de testagem com resultados de média, desvio padrão, número mínimo e máximo de palavras.  A tabela 2 mostra a correlação entre os tempos de aplicação. Quanto mais aplicações, mais a correlação e precisão nos mostram resultados fracos. A figura 1 representa o total de palavras ou pares obtidos nos 4 momentos do teste. Observa-se que, com exceção do momento 3 da categoria animais,  os resultados foram crescentes a cada aplicação. A figura 2 mostra os diagramas de dispersão entre a primeira e as demais testagens nas três etapas do Teste de Fluência Verbal Alternada. Nota-se que apesar de haver uma linearidade há uma dispersão dos pontos cada vez maior a cada reteste. CONCLUSÃO: Quanto mais aplicações do Teste de Fluência Verbal Alternada o participante é submetido, menor a correlação com o desempenho, indicando assim aprendizagem com a tarefa. Assim, apesar do Teste de Fluência Verbal Alternada ser um dos principais instrumentos na avaliação de danos neurológicos e ser fidedigno naquilo que se propõe a medir, o mesmo é indicado para uma única aplicação, não sendo aconselhável retestes de 15, 30 ou 45 dias após a primeira aplicação.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (27.4 Kb)   pdf (374 Kb)   docx (155.7 Kb)  
Continuar por mais 16 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com