TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Resenha Educação Física: Uma (nova) introdução

Por:   •  10/11/2018  •  Resenha  •  1.822 Palavras (8 Páginas)  •  127 Visualizações

Página 1 de 8

Professor: D.r Alfredo Feres Neto

Aluno: Rafael Moreira de Alcantara

Matrícula: 180108379

Resenha Educação Física: Uma (nova) introdução

No primeiro capítulo há uma introdução sobre o surgimento da educação física baseada no movimento humano, onde desde os primórdios essa atividade tem um papel indispensável. Visando caçar para obter o próprio alimento, o homem e os primeiros animais já trabalhavam o seu corpo mesmo sem saber nada sobre toda a fisiologia por trás da mobilidade que era necessária para que os mesmos sobrevivessem.

Com o passar dos séculos e a criação das atividades motoras sistematizadas, o conceito de movimento foi se desenvolvendo e acabou por se tornar algo passível para ser usado em competições das mais diversas formas, envolvendo características como força, resistência, flexibilidade e velocidade. Para o desenvolvimento dessas aptidões, é necessário trabalhar as capacidades psicomotoras, fazendo com que o raciocínio, a memória, a atenção e etc trabalhem em conjunto e façam dos movimentos intencionais algo mais aperfeiçoado e que contribua cada vez mais para o melhor desenvolvimento da atividade realizada. As habilidades relacionadas ao movimento se manifestam desde o nascimento, sendo a infância um momento de suma importância para conhecer toda essa ciência em volta do corpo, desenvolvendo os indivíduos e os preparando para a fase seguinte que é a adolescência e posteriormente a vida adulta.

Os objetivos das práticas sistematizadas podem ser diversos, podendo estar ligados desde os costumes de sobrevivência, até a rotina preparatória para uma competição por exemplo. Sendo assim, esses objetivos são determinados de acordo com o contexto histórico e/ou cultural de cada indivíduo.

A partir do Renascimento, houve uma grande preocupação voltada para o corpo do homem, dando origem à diversos métodos de exercícios físicos que serviram de modelo para a posterior implantação da educação físicas nas escolas. Dentre eles, podemos destacar os mais famosos que foram a ginástica calistênica do método sueco, o alemão de Guts Muts, o francês e por último o austríaco. Todos esses procedimentos diferenciavam-se em alguns aspectos mas tinham a partir dos exercícios um objetivo em comum, o trabalho do corpo.

No Brasil, a educação física escolar começou a ser implantada a partir de 1837 no colégio Dom Pedro II no Rio de Janeiro. Inicialmente a mesma era composta basicamente por movimentos da ginástica calistênica e atividades do método alemão, já que, ao chegar no Brasil, foi comandada por instrutores militares alemães.

Os objetivos principais da educação física no Brasil foram a saúde e a regeneração da raça, uma mescla entre o discurso médico e o militar. A saúde era algo primordial a ser implantado, com o êxodo rural e a rápida industrialização, o surgimento de doenças nas cidades precisava ser combatido rapidamente com a ajuda dos métodos higienistas. Já o discurso militar visava sobretudo a preparação física da população para o uso em defesa da pátria, formando através de treinamentos físicos, cidadãos capacitados para enfrentarem quaisquer tipos de intempéries que viessem a afetar drasticamente alguém que não estivesse apto.

No período ditatorial vivido no Brasil, mais especificamente após o golpe de 1964, a educação física teve um papel fundamental atrelado ao governo na época, onde o mesmo motivava fortemente todos os estudantes e a população em geral a praticarem esportes como forma de competição. Com a implantação obrigatória da educação física no terceiro grau, ficou evidente como esse aspecto foi usado para um controle ideológico, influenciando todos a se prepararem melhor para as competições cujo país não tinha um desempenho tão bom (como os jogos olímpicos e os jogos pan-americanos). Além disso, essa ‘’doutrinação ‘’ através do esporte atingiu com força também a paixão nacional, o futebol. Com propagandas chamativas na televisão e com o ‘’esporte para todos’’, o governo criava uma distração com toda essa euforia pelo esporte, enquanto intervia diretamente na economia e aplicava os seus projetos sem uma que houvesse um olhar significativo por parte da população.

Com o declínio da ditadura militar, foram difundidas através de pesquisas, novas ideias sobre a educação física no âmbito pedagógico, onde os educadores necessitavam seguir certos princípios na hora das atividades, tais como orientar corretamente o aluno antes que o mesmo faça qualquer tipo de atividade, corrigir com cautela os erros para que o aluno não perca a fluidez, respeitar o ritmo de aprendizagem de cada um e orientar a preparação adequada(como aquecimento antes da atividade) para que o estudante tenha um bom desempenho nas práticas. Com a chamada ‘’abertura política’’, o debate sobre educação física pôde ser cada vez mais explorado, visto que livros proibidos na ditatura foram publicados, ajudando a aperfeiçoar os métodos pedagógicos e incentivando o aprofundamento do estudo da educação física. Isso tudo teve uma influência grande para o aprofundamento dos educadores, incitando-os a darem início em 1977 o primeiro curso de mestrado de educação física da USP.

Com os valores referentes à educação física militar se perfazendo, as mudanças foram se moldando com base nos professores, onde em alguns lugares ainda tentavam manter as práticas desportivas e a ginástica que ‘’davam certo’’ e em outros os educadores acabavam cedendo aos que os alunos mais gostavam de fazer para que a prática fosse de agrado a todos. Com a implantação de lei de diretrizes e bases da educação nacional (LDB), a questão pedagógica se fortificou e fez com que a educação física fosse efetivamente implantada nas escolas, sendo de mesmo valor que as outras matérias e ajudando no desenvolvimento da criança. As diferentes formas de atividades motoras fizeram com que a área da educação física tivesse uma ampla atuação, em escolas, academias, clínicas e etc., mas, como a mesma engloba várias áreas de conhecimento em geral e não tem um ‘’centro’’ específico, houve um questionamento sobre a sua cientificidade, sendo uma questão de estudo para provar ou não a sua importância como área de conhecimento.

Com a busca de um objeto de estudo para a educação física, vários professores fizeram trabalhos com o intuito de definir um tema ‘’central’’, uma definição geral para o que era a educação física. Houve nos Estados Unidos, França e na Alemanha, correntes que buscavam visar isso, centrando a educação física

...

Baixar como (para membros premium)  txt (11.8 Kb)   pdf (54.2 Kb)   docx (15.3 Kb)  
Continuar por mais 7 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com