TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

ABORDAGEM DA DOR TORÁCICA NA CLASSIFICAÇÃO DE RISCO E QUAIS AS ATRIBUIÇÕES DO ENFERMEIRO

Por:   •  8/1/2019  •  Trabalho acadêmico  •  685 Palavras (3 Páginas)  •  77 Visualizações

Página 1 de 3

FACULDADE PAULISTA DE SERVIÇO SOCIAL DE SÃO CAETANO DO SUL

ANDRÉA DA SILVA rM 2750

ABORDAGEM DA DOR TORÁCICA NA CLASSIFICAÇÃO DE RISCO E QUAIS AS ATRIBUIÇÕES DO ENFERMEIRO

São Paulo

2018

ANDRÉA DA SILVA RM 2750

ABORDAGEM DA DOR TORÁCICA NA CLASSIFICAÇÃO DE RISCO E QUAIS AS ATRIBUIÇÕES DO ENFERMEIRO

Trabalho elaborado para o Curso de Pós- Graduação em Emergência e Urgência para a disciplina de eletrocardiograma sob a Orientação da Profº Willian Camargo de Carvalho .

 

São Paulo

2018

1.ABORDAGEM DA DOR TORÁCICA NA CLASSIFICAÇÃO DE RISCO E QUAIS AS ATRIBUIÇÕES DO ENFERMEIRO

As doenças cardiovasculares são a maior causa de morte no mundo.  Dentre os sintomas o desconforto torácico é o principal e necessita avaliação criteriosa. A partir desse contexto observa-se a necessidade do conhecimento do Enfermeiro sobre a dor torácica e sua atuação frente a esse sintoma.

Dentre os sintomas, o IAM pode causar desconforto na região torácica de forte intensidade, e pode ser descrito pelos pacientes como queimação, aperto, opressão, sufocação, dor ou pressão superior a 30 minutos, esse desconforto pode ainda, irradiar para os braços, pescoço, mandíbula ou estômago. Além do desconforto torácico, o paciente pode ainda apresentar dificuldade para respirar, náuseas, vômitos, vertigem, desmaio, suor frio e palidez.

Na unidade de pronto atendimento a avaliação primária do enfermeiro frente aos pacientes com dor torácica é essencial, uma vez que ele pode realizar, de forma criteriosa, a investigação do estado do paciente, através do histórico e exame físico, identificando os sinais e sintomas, para propor as intervenções de enfermagem. Neste contexto, deve-se solicitar a realização do ECG, garantindo que o tempo de atendimento chamado porta - ECG e porta - agulha seja o mais precoce possível, possibilitando maior agilidade e rapidez para as intervenções terapêuticas e redução da mortalidade intra-hospitalar por IAM.

          Ressalta-se que o Enfermeiro deve atuar desde a fase do pré- atendimento com educação em saúde, visando à prevenção dos fatores de risco e informação quanto ao reconhecimento dos sintomas do IAM, enfatizando sobre a importância do atendimento o mais breve possível a partir da queixa principal que é o desconforto torácico, além de informar como acionar o sistema de atendimento de emergência na presença desses sinais.

Na chegada do paciente à unidade de dor torácica, muitas vezes, o enfermeiro é o profissional que procede ao primeiro contato. Este deve apresentar responsabilidades para atuar com competência técnica, científica, ética e humanística, distinguindo os sinais e sintomas de IAM e de outras emergências cardiovasculares, visto que o tempo é um fator determinante para o prognóstico. Este profissional deve atuar de maneira préestabelecida e sincronicamente visando: prioridade, rapidez, eficiência, alta qualidade e contenção de custos.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (4.9 Kb)   pdf (77.1 Kb)   docx (13.9 Kb)  
Continuar por mais 2 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com