TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Aps APLICAÇÃO DOS ASPECTOS DA TEORIA DA ADMINISTRAÇÃO. Um estudo sobre as práticas administrativas na empresa SENAC

Por:   •  30/5/2016  •  Trabalho acadêmico  •  5.904 Palavras (24 Páginas)  •  209 Visualizações

Página 1 de 24

INTRODUÇÃO

APS - Atividades Práticas Supervisionadas aponta a contribuição para ficar mais claro as competências e deixar mais visível a realidade que é no mundo do mercado, fazendo então, análises importantes temas e vários desafios pendentes e a descrição de uma empresa em uma situação real.

O trabalho vai apresentar a estrutura do Senac (serviço nacional de aprendizagem comercial) uma instituição educacional de direito privado e sem fins lucrativos criada pelo governo federal em 10 de janeiro de 1946.

Explicaremos como a empresa adota um ensino de boas práticas, como é dirigida e monitorada, senso assim mais fácil o envolvimento entre a administração, diretoria, auditoria, onde as experiências ajuda aumentar o valor da empresa, Também tem como objetivo a elaboração de um projeto voltado para a gestão de Responsabilidade Social. Este trabalho tem como objetivo o estudo da teoria das relações humanas da empresa SENAC, que mostrará a importância da motivação dos funcionários e sua relação com o meio em que trabalha, a fim de ter a satisfação para ambas as entidades funcionário e empresa.

No Senac São Paulo, está cotidianamente empenhado em ações de responsabilidade social e ambiental. Tem consciência do valor do trabalho, do compromisso que é desempenhar bem o papel em benefício do desenvolvimento de pessoas e organizações.

Desenha a história ao longo de 66 anos unindo esforços para definir e manter padrões de excelência educacional. E, com isso, traçando uma trajetória bem-sucedida, acumulando uma experiência notável e firmando, perante o mercado, como um símbolo de contemporaneidade e renovação.

SUMÁRIO

1. Revisão Conceitual 5

2. Estudo de Caso 14

2.1 Perfil da organização 14

2.1.1 Apresentação da empresa 15

2.1.2 Produtos e Clientes 16

2.1.3 Força de trabalho 18

2.1.4 Principais concorrentes 19

2.1.5 Principais fornecedores de insumo 20

2.1.6 Principais necessidades e expectativas da sociedade 20

2.2 Coleta de dados 21

2.2.1 Aplicação de aspectos da teoria da administração 21

2.3 Análise de dados 24

2.3.1 Organização dos aspectos investigados e identificados 24

2.4 Interpretação dos dados 24

2.4.1 Pontos fortes das práticas de gestão adotadas pela organização 24

2.4.2 Pontos a serem melhorados 26

2.4.3 Sugestão de melhoria 26

Considerações finais 27

Referências 28

1. REVISÃO CONCEITUAL

Teoria da relações Humanas:

Segundo Chiavento, essa teoria se deu origem basicamente por quatro tópicos:

1: “A necessidade de humanizar e democratizar a administração”, foi uma “quebra” com a teoria administrativa presente no momento, a teoria clássica, que dá importância aos processos de produção da empresa. A teoria das relações humanas foi um movimento tipicamente americano que focava na democratização dos conceitos administrativos.

2: “O desenvolvimento das ciências humanas”, havento nesse ponto forte influência, crescimento e as primeiras aplicações da psicologia nas empresas, já que essa teoria visava o bem estar e motivação dos trabalhadores, bem como as ciências humanas demonstrava as inadequações dos conceitos da teoria clássica.

3: “ As ideias da filosofia pragmática de John Dewey e da psicologia dinâmica de Kurt Lewin”, foi a contribuição desses dois homens nos estudos humanísticos na escola fundada por Elton Mayo.

4: “As conclusões da Experiência de Hawthorne”, esse foi o ponto mais importante na teoria das relações humanas, foi o resultado de sua experiência que deu início aos esudos humanísticos da administração.

A experiência de Hawthorne

Em 1927, Hawthorne, em sua fábrica, iniciou uma experiência coordenado por Elton Mayo e consistia por 4 etapas:

- “Na primeira fase da experiência foram escolhidos dois grupos de operários que faziam o mesmo trabalho e em condições idênticas: um grupo de observação trabalhava sob intensidade de luz variável, enquanto o grupo de controle tinha intensidade constante. Pretendia-se conhecer o efeito da iluminação sobre o rendimento dos operários. Os observadores não encontraram correlação direta entre ambas as variáveis, mas verificaram, desapontados,a existência de uma variável difícil de ser isolada, denominada fator psicológico: os operários reagiam à experiência de acordo com suas suposições pessoais, ou seja, eles se julgavam na obrigação de produzir mais quando a intensidade de iluminação aumentava e, o contrário, quando diminuía. Comprovou-se a preponderância do fator psicológico sobre o fator fisiológico: a eficiência dos operários ê afetada por condições psicológicas. Reconhecendo o fator psicológico apenas quanto à sua influência negativa, os pesquisadores pretenderam isolá-lo ou eliminá-lo da experiência, por considerá-lo inoportuno.”(CHIAVENATO, 7ª edição, página 103)

Essa “descoberta inoportuna” posteriormente dará origem a um novo ramo da pesquiza humanística que estuda as necessidades fisiológicas e outras necessidades de um trabalhador, bem como sua motivação no meio de trabalho.

A segunda fase da experiência começou em 1927. Foi criado um grupo de observação (ou grupo experimental): cinco moças montavam os relês, enquanto uma sexta operária fornecia as peças para abastecer o trabalho. A sala de provas era separada do departamento (onde estava o grupo de controle) por uma divisão de madeira. O equipamento de trabalho era idêntico ao utilizado no departamento, apenas incluindo um plano inclinado com um contador de peças que marcava a produção em fita perfurada. A produção foi o índice de comparação entre o grupo experimental (sujeito a mudanças nas condições de trabalho) e o grupo de

...

Baixar como (para membros premium)  txt (41.6 Kb)   pdf (202.4 Kb)   docx (32.1 Kb)  
Continuar por mais 23 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com