TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

PORTFOLIO INDIVIDUAL PRIMEIRO SEMESTRE ADM - UNOPAR

Por:   •  16/10/2015  •  Trabalho acadêmico  •  2.802 Palavras (12 Páginas)  •  217 Visualizações

Página 1 de 12

UNIVERSIDADE NORTE DO PARANÁ – UNOPAR

POLO ARCOVERDE

PRODUÇÃO TEXTUAL INDIVIDUAL

Arcoverde – 2015

ALINE FREITAS DE CARVALHO

PRODUÇÃO TEXTUAL INDIVIDUAL

Trabalho apresentado às disciplinas do primeiro semestre do curso de Bacharelado em Administração, sob orientação do tutor Thiago Maciel – UNOPAR

Arcoverde ∕ PE

2015

SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO..................................................................................................4

1.2 Objetivos.........................................................................................................5

1.2.1 Objetivos Gerais..........................................................................................5

1.2.2 Objetivos Específicos..................................................................................5

2. DESENVOLVIMENTO.....................................................................................6

2.1 Fundamentos e Teoria Organizacional..........................................................6

2.2 Comunicação e Linguagem............................................................................8

2.3 Homem, cultura e sociedade.........................................................................10

2.4 Comportamento Organizacional....................................................................12

3. CONSIDERAÇÕES FINAIS............................................................................13

REFERÊNCIAS...................................................................................................14

  1. INTRODUÇÃO

No final do século XIX surgiu nos Estados Unidos a administração científica através de Frederick Winslow Taylor. O taylorismo foi marcado pela racionalização do trabalho operário, estudo de tempos e movimentos, padronização de ferramentas e instrumentos, padronização de movimentos, sistema de pagamento de acordo com o desempenho, entre outros mecanismos de trabalho.

Henry Ford foi um dos principais discípulos de Taylor e seguidores da administração científica, fundador da Companhia Ford, criou o modelo de produção em massa e as linhas de montagem de automóveis, o que permitia a fabricação em série. O chamado fordismo apresentava foco no aumento da produção em menor tempo e com menos gastos. Ford também revolucionou os ideais trabalhistas através do aumento de salários e redução da jornada de trabalho. A teoria da administração científica foi um marco no crescimento e no avanço do setor industrial.

Hoje, o setor econômico mais desenvolvido é o setor de serviços, ou setor terciário, que conta com serviços de alimentação, lazer, educação, saúde, entre outros. Tal setor apresenta alto nível de desenvolvimento econômico. “Atualmente, os serviços são responsáveis por mais de 70% dos postos de trabalho na Inglaterra”. (Beynon 1995, p. 09). Segundo Morales (2010), o processo de globalização foi responsável pelo desenvolvimento acentuado do setor terciário.

  1. Objetivos
  1. Objetivo Geral

De acordo com as informações supracitadas, tal estudo tem como objetivo principal identificar as características do fordismo no cenário administrativo atual, contrastando com as mudanças ocorridas nos setores econômicos ao longo dos anos.

  1. Objetivos Específicos

Fazer uma correlação entre as disciplinas estudadas no semestre; abordar o fordismo informal; analisar a relação do homem com o trabalho atualmente; identificar as mudanças de comunicação e tecnologia nas organizações modernas.

  1. DESENVOLVIMENTO

2.1 Fundamentos e Teoria Organizacional

        Chiavenato (2003, p.65) define o Fordismo como a “racionalização da produção, que proporcionou a linha de montagem que permitiu a produção em série ou em massa, o produto é padronizado, bem como o maquinário, o material, a mão de obra e o desenho do produto, o que proporciona um custo mínimo”. Assim, pode-se destacar os três princípios de Ford:

  1. “Princípio da Intensificação”: Procura reduzir o tempo de trabalho com o emprego de equipamentos, matéria prima e a rápida colocação do produto no mercado;
  2. “Princípio da Economicidade”: Visa reduzir o volume de estoque de matéria prima em transformação. Conseguiu que o automóvel fosse pago à empresa antes de vencer o prazo de pagamento da matéria prima e dos salários. A velocidade de produção deve ser rápida;
  3. “Princípio da Produtividade”: Procura aumentar a capacidade de produção do homem no mesmo período por meio da especialização da linha de montagem. O operário ganha mais e a empresa tem maior produção.

Fazendo uma análise dos três princípios de Ford, torna-se clara a sua aplicabilidade nos dias atuais. O princípio da intensificação, por exemplo, continua sendo utilizado nas grandes indústrias e no setor de serviços, pois quanto menor for o tempo de produção, mais rápido o produto será disponibilizado para venda, trazendo assim, lucros mais rápidos para a empresa. O princípio da economicidade é bastante usado em montadoras de veículos até os dias de hoje, pois os carros são feitos para pronta entrega, assim não deixam os estoques cheios de matéria prima ou de produtos amontoados que não foram vendidos. Isso gera uma positividade na produção, evitando custos desnecessários e por vez, diminuindo o prejuízo. Um exemplo de aplicação deste princípio de Ford na atualidade é o esquema de “just-in-time” utilizado pela fábrica Toyota. O princípio da produtividade é o que tem sua aplicação parcialmente empregada atualmente, pois há uma especialização constante das linhas de montagem, visando garantir um aumento na produção e consequentemente nas vendas, porém, a questão salarial varia muito entre as organizações e nem todas buscam aumentar os salários para aumentar a produção, devido ao número exacerbado de profissionais no mercado. Apesar de os princípios de Ford continuarem sendo aplicados nas organizações modernas, o mercado econômico mudou bastante até aqui. Cresceu a instabilidade de emprego, aumentou a exigência por maior nível de escolaridade, a competitividade entre os inúmeros profissionais do mesmo ramo, enfim, o fordismo pode ter deixado rastros nos tempos modernos, mas a empregabilidade e a economia já não são mais as mesmas.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (20.3 Kb)   pdf (146 Kb)   docx (21.8 Kb)  
Continuar por mais 11 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com