TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Atps De Literatura Infantil Etapa 3

Dissertações: Atps De Literatura Infantil Etapa 3. Pesquise 790.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  21/10/2014  •  592 Palavras (3 Páginas)  •  1.000 Visualizações

Página 1 de 3

Segundo os textos lidos, já estabelecidos os fatores básicos que constituem a matéria narrativa em geral, foi colocada uma nova questão a prova: a da diversificação natural de cada um desses fatores e em especial, quando se trata de literatura destinada aos pequenos leitores.

Tendo diferentes tipos de narrador, infinitas variações de histórias, de efabulações, de personagens, etc. E em face dessa diversidade pergunta-se: Há formas especificas para os pequenos? Ou há formas para adultos que se revelam naturalmente adequadas ás crianças? Quais os temas, problemas, assuntos, personagens, linguagem, etc. que poderiam ser considerados ideais para esse difícil leitor?

Para se chegar as respostas, inicia analisando as narrativas primordiais que o tempo transformou em obras clássicas do gênero, estas refletem 25 séculos de evolução do homem e mostram através da transfiguração literária o modo de ver o mundo e viver, gerados em épocas diferentes conservam sua visão de mundo e valores do momento em que surgiram.

Também foram analisadas as peculiaridades formais que identificam entre e si e que respondem pela ampla aceitação que tiveram entre as crianças de diferentes épocas e nações. Podendo considerar como adequadas a matéria narrativa infantil, as seguintes características estilísticas: A efabulação inicia-se de imediato com o motivo central da história. O motivo da efabulação resulta em três necessidades básicas do ser humano. O tempo é indeterminado. O ato de contar é referido no corpo da própria efabulação e corresponde a uma voz familiar. A forma literária básica é a do conto. A repetição como técnica narrativa, é das mais exploras na literatura popular ou infantil. A narrativa se faz pelo processo da representação simbólica ou metafórica. As personagens são basicamente tipos ou caracteres. Há uma convivência natural entre realidade e imaginário. O espaço nas narrativas arcaicas nem sempre é significativo. A exemplaridade é um dos objetivos mais evidentes da narrativa primordial novelesca. O narrador presente nos textos é o contador de histórias.

Os contos de fada e os contos maravilhosos apresentam estrutura narrativa idênticas. Do modelo estrutural de Propp, extraímos 5 invariantes sempre presentes nos contos em questão: aspiração, viagem, obstáculos, mediação auxiliar e conquista. Estas tais invariantes multiplican-se por infinitas variantes que correspondem pela riqueza dessa produção arcaica.

A partir do séc. XVIII, a leitura passou a ser o ideal básico de todos, inclusive para a educação infantil e devido a inexistência da literatura escrita especificamente para a infância e juventude começam a surgir adaptações de romances ou novelas famosas, que encantavam adultos e os menores.

As características estilísticas da literatura infantil romântica são: A efabulação oscila entre a tendência de se iniciar de imediato com o motivo central e a de começar pelas circunstâncias que preparam o espirito do leitor. O tempo é essencialmente histórico. O ato de contar continua presente no corpo da narrativa. A crescente preocupação com o registro realista da vida. A intenção de realismo. As personagens tipos vão sendo superadas pelas personagens caráter. O espaço adquire grande importância na economia narrativa. Impõem-se a ideia de nacionalismo. A exemplaridade vai sofrer uma alteração:

...

Baixar como (para membros premium)  txt (3.9 Kb)  
Continuar por mais 2 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com