TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

ATPS DE LITERATURA INFANTIL

Trabalho Escolar: ATPS DE LITERATURA INFANTIL. Pesquise 788.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  20/6/2013  •  7.603 Palavras (31 Páginas)  •  1.165 Visualizações

Página 1 de 31

Projeto: uma nova cultura de aprendizagem

No presente texto discorre que prática pedagógica através do desenvolvimento de projetos é uma configuração de idealizar educação que envolve o aluno, o professor, os recursos disponíveis, inclusive as novas tecnologias, e todas as interações que se estabelecem nesse ambiente, denominado ambiente de aprendizagem.

Deste modo, cabe ressaltar que este ambiente é designado no que se refere a interação entre todos os seus elementos, propiciando assim o desenvolvimento da autonomia do aluno e a construção de conhecimentos de distintas áreas do saber, através da busca de informações significativas para a compreensão, representação e resolução de uma situação-problema.

A aprendizagem por projetos ocorre através da interação e articulação entre conhecimentos de distintas áreas, conexões estas que se estabelecem a partir dos conhecimentos cotidianos dos alunos, cujas expectativas, desejos e interesses são 2 mobilizados na construção de conhecimentos científicos.

Assim sendo, é papel do professor gerar a tomada de consciência sobre os conceitos implícitos nos projetos e sua respectiva formalização, mas é preciso empregar o bom-senso para fazer as intervenções no momento apropriado.

O trabalho por meio dos projetos significa lidar com ambiguidades, soluções provisórias, variáveis e conteúdos não identificáveis a priori e emergentes no processo.

O desenvolvimento de um projeto envolve um processo de construção, participação, cooperação e articulação, que propicia a superação de dicotomias estabelecidas pelo paradigma dominante da ciência e as interrelaciona em uma totalidade provisória perpassada pelas noções de valor humano, solidariedade, respeito mútuo, tolerância e formação da cidadania, que caracteriza o paradigma educacional emergente.

O professor que trabalha com projetos de aprendizagem respeita os diferentes estilos e ritmos de trabalho dos alunos desde a etapa de planejamento, escolha do tema e respectiva problemática a ser investigada. Não é o professor quem planeja para os alunos executarem, ambos são parceiros e sujeitos de aprendizagem, cada um atuando segundo o seu papel e nível de desenvolvimento.

Mas, para transformar o sistema educacional é preciso que essa reciprocidade extrapole os limites da sala de aula e envolva todos que constituem a comunidade escolar: dirigentes, funcionários administrativos, pais, alunos, professores e a comunidade na qual a escola encontra-se inserida.

Pedagogia de Projetos: fundamentos e implicações

O trabalho sobre projetos vem sendo muito discutido no âmbito educacional. Atualmente nas escolas surge um novo paradigma no processo de ensinar e aprender. Professor e aluno aprendem na interação através de projetos, ou seja, ambos aprendem a produzir levantar hipóteses, fazer análises e reconstruir o conhecimento. Nesse sentido o professor deixa de ser um simples reprodutor do conhecimento e passa a ser um mediador da aprendizagem.

Na pedagogia de projetos, o aluno aprende no processo de produzir, levantar dúvidas, pesquisar e criar relações que incentivam novas buscas, descobertas, compreensões e reconstruções de conhecimento. Portanto, o papel do professor deixa de ser aquele que ensina por meio da transmissão de informações – que tem como centro do processo a atuação do professor – para criar situações de aprendizagem cujo foco incida sobre as relações que se estabelecem nesse processo, cabendo ao professor realizar as mediações necessárias para que o aluno possa encontrar sentido naquilo que está aprendendo a partir das relações criadas nessas situações.

A pedagogia de projetos vem reformular a postura do professor, onde o projeto deve partir dos interesses e necessidades dos discentes e não como imposição da instituição. Ele surge da problemática do contexto social, da realidade concreta, por isso é fundamental a abertura do professor para acompanhar efetivamente o percurso do aluno.

Para que ocorra a mediação pedagógica, o professor necessita acompanhar o processo de aprendizagem do aluno, ou seja, entender seu caminho, seu universo cognitivo e afetivo, bem como sua cultura, história e contexto de vida.

É de grande importância que o professor tenha clareza da sua intencionalidade pedagógica, isto é, que ele seja capaz de intervir no processo de ensino aprendizagem destes alunos. Mesmo diante das dificuldades família e escola devem caminhar juntas com o mesmo objetivo, no intuito de integrar nossos alunos na sociedade.

Deste modo, pedagogia de projetos, embora que para alguns professores tornou-se desafio, hoje vejo de forma bastante relevante, pois a participação de todos contribui para a interação com a realidade da comunidade escolar e do mundo em que vivem, consolidando um espaço democrático que conduz à compreensão.

Um outro aspecto de extrema importância na atuação do professor é o de propiciar o estabelecimento de relações interpessoais entre os alunos e respectivas dinâmicas sociais, valores e crenças próprios do contexto em que vivem. Portanto, existem três aspectos fundamentais que o professor precisa considerar para trabalhar com projetos: as possibilidades de desenvolvimento de seus alunos, as dinâmicas sociais do contexto em que atua e as possibilidades de sua mediação pedagógica.

O trabalho por projetos requer mudanças na concepção de ensino e aprendizagem e, consequentemente, na postura do professor.

A pedagogia de projetos, embora constitua um novo desafio para o professor, pode viabilizar ao aluno um modo de aprender baseado na integração entre conteúdos das várias áreas do conhecimento, bem como entre diversas mídias (computador, televisão, livros) disponíveis no contexto da escola.

A ideia de projeto envolve a antecipação de algo desejável que ainda não foi realizado, traz a ideia de pensar uma realidade que ainda não aconteceu. O processo de projetar implica analisar o presente como fonte de possibilidades futuras.

Um dos pressupostos básicos do projeto é a autoria, seja ela individual, em grupo ou coletiva. Não se pode ter projeto pelos outros. É por essa razão que enfatiza-se que a possibilidade de o professor ter o seu projeto de sala de aula não significa que este deverá ser executado pelo aluno. Cabe ao professor elaborar projetos para viabilizar a criação de situações que propiciem aos alunos desenvolverem seus próprios projetos. São níveis de projetos distintos que se articulam nas interações em sala de aula. Por exemplo, o projeto do professor pode ser descobrir.

É

...

Baixar como (para membros premium)  txt (51.6 Kb)  
Continuar por mais 30 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com