TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Tcc- Pedagogia

Artigos Científicos: Tcc- Pedagogia. Pesquise 861.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  3/11/2013  •  3.434 Palavras (14 Páginas)  •  814 Visualizações

Página 1 de 14

FACULDADE INTERNACIONAL DE CURITIBA

A INCLUSÃO DE CRIANÇAS COM NECESSIDADES ESPACIAIS EM ESCOLAS REGULARES.

SALVADOR

2009

INCLUSÃO ESCOLAR: UM NOVO OLHAR SOBRE A DEFICIÊNCIA MENTAL.

O que apregoa o processo de inclusão?

A concepção de educação especial começou a ser conhecida na década de 1960, na Dinamarca, onde se iniciou um movimento de pais, amigos e pessoas com deficiência, e ganhou força no mundo todo na luta pela reivindicação do direito à educação ofertada em escolas regulares com as demais crianças e jovens.

Este movimento expandiu-se para o continente americano, e chegou até o Brasil na década de 1980, onde foi denominado de integração. Em 1990, também em favor dos direitos humanos, nasce o movimento de inclusão, que amplia o enfoque de suas lutas em relação à perspectiva da integração e apóia a igualdade e a equiparação de oportunidades na educação. A inclusão está aliada aos direitos à aprendizagem e à participação de todos.

A concepção de inclusão requer mudanças nas atitudes e nas praticas relacionadas a grupos excluídos, como por exemplo, as pessoas com deficiências.

Na educação, o processo de inclusão significa que, mesmo que os alunos apresentem características diferenciadas decorrentes do quadro de deficiência como, por exemplo, a deficiência mental, estes tem o direito de realizar a sua escolarização em contextos comuns os quais devem ser modificados para atender as suas necessidades.

Há pouco tempo atrás o destino dessas crianças era em uma classe que teria apenas crianças com o mesmo quadro de deficiência. Hoje o direito dessas crianças de poder estudar em escolas regulares vem sendo respeitado.

Trecho da Declaração de Salamanca:

...as escolas devem acolher todas as crianças, independentemente de suas condições físicas, intelectuais, sociais, emocionais, lingüísticas ou outras.

A educação inclusiva é um movimento que compreende a educação como direito humano fundamental, sendo a educação a base para uma sociedade mais justa que se preocupa em atender todas as pessoas a despeito de suas características, desvantagens ou dificuldades. Para a educação inclusiva as escolas devem se habilitar para o atendimento da sua comunidade, concentrando-se naqueles alunos que tem sido mais excluído das oportunidades educacionais.

Quais as diferença entre inclusão e integração?

As diferenças existentes entre o processo de integração e de inclusão são as seguintes:

Inclusão

Inclusão: a inserção é total e incondicional (crianças com deficiência não precisam "se preparar" para ir à escola regular)

Inclusão: exige rupturas nos sistemas

Inclusão: mudanças que beneficiam toda e qualquer pessoa (não se sabe quem "ganha" mais; TODAS ganham);

Inclusão: exige transformações profundas

Inclusão: sociedade se adapta para atender às necessidades das pessoas com deficiência e, com isso, se torna mais atenta às necessidades de TODOS

Inclusão: defende o direito de TODAS as pessoas, com e sem deficiência

Inclusão: traz para dentro dos sistemas os grupos de "excluídos" e, paralelamente, transforma esses sistemas para que se tornem de qualidade para TODOS

Inclusão: o adjetivo inclusivo é usado quando se busca qualidade para TODAS as pessoas com e sem deficiência (escola inclusiva, trabalho inclusivo, lazer inclusivo etc)

Inclusão: valoriza a individualidade de pessoas com deficiência (pessoas com deficiência podem ou não ser bons funcionários; podem ou não ser carinhosos etc);

Inclusão: Não quer disfarçar as limitações, porque elas são reais

Inclusão: Não se caracteriza apenas pela presença de pessoas com e sem deficiência em um mesmo ambiente

Integração

Integração: a inserção é parcial e condicional (crianças "se preparam" em escolas ou classes especiais para estar em escolas ou classes regulares)

Integração: Pede concessões aos sistemas

Integração: Mudanças visando prioritariamente a pessoas com deficiência (consolida a idéia de que elas "ganham" mais)

Integração: contenta-se com transformações superficiais

Integração: pessoas com deficiência se adaptam às necessidades dos modelos que já existem na sociedade,

...

Baixar como (para membros premium)  txt (22 Kb)  
Continuar por mais 13 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com