TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

O RELATÓRIO DE ATIVIDADES DO ESTÁGIO

Por:   •  5/1/2019  •  Relatório de pesquisa  •  1.128 Palavras (5 Páginas)  •  10 Visualizações

Página 1 de 5

- NAAC -

Núcleo de Acompanhamento de Ações Acadêmicas

RELATÓRIO DE ATIVIDADES DO ESTÁGIO

Relatório do estagiário

I. DADOS DO ESTAGIÁRIO

Estagiário: Dilta Maria Santos de Almeida

                       

Curso: Biomedicina

Semestre: 7

Professor Orientador:

 

II. DADOS DA CONCEDENTE

Empresa concedente: Hospital e Clínica São Roque – Ipiaú - BA

Supervisor de Estágio: Deise Kelly Queiroz Santos Trindade

Registro no Conselho Estadual ou Federal: 7214

III. DESCRITIVO DAS ATIVIDADES

Introdução 

O estágio em Análises Clínicas é essencial e obrigatório para a formação do profissional Biomédico, pois, é no decorrer das práticas que ocorre a obtenção do conhecimento e o desenvolvimento das habilidades. Os exames de rotina realizados pelo estagiário com supervisão do profissional Biomédico relatam com clareza o estado de saúde do paciente. O estágio supervisionado é indispensável para o futuro profissional, pois, oferece a oportunidade do aluno de se deparar com problemas reais que possivelmente irá enfrentar após a conclusão do curso.  

Objetivo geral do estágio

O estágio em análises clínicas tem como objetivo geral esclarecer e auxiliar toda e qualquer dúvida quanto ao desenvolvimento das atividades inerentes ao Estágio Supervisionado, ou seja, colocar em prática todo o conhecimento adquirido em sala de aula no decorrer da graduação.

Atividades desenvolvidas

Foram realizadas um total de 200 horas de estágio supervisionado em análises clínicas no Hospital e Clínica São Roque, localizado no município de Ipiaú-BA.

O Primeiro setor no qual iniciei o estágio foi o de coleta (Ambulatório, Pronto-socorro, UTI e Quartos de internação), onde pude efetuar a coleta de materiais para realização de exames bioquímicos e hematológicos. Os tubos utilizados para o armazenamento do material foram os tubos de tampa roxa que contém anticoagulante e EDTA adequados para análises hematológicas, o tubo de tampa vermelha possui o ativador de coágulo e o tubo de tampa amarela possui o ativador de coágulo e gel separador, ideais para coleta de exames bioquímicos e sorológicos, o tubo azul contém o citrato de sódio no seu interior, impedindo que a cascata  de coagulação ocorra, sendo adequado para testes de coagulações, o tubo de tampa cinza possui fluoreto de sódio + EDTA muito utilizado para exames da dosagem da glicemia e o tubo de tampa verde possui heparina e é empregado em exames bioquímicos e gasometria. Para a realização da coleta deve-se adotar o protocolo da instituição como o uso de EPIs e de materiais estéreis como agulhas e seringas, conforme as orientações do procedimento impedindo a ocorrência de quaisquer danos causados por contaminação ao estagiário. Também fazem parte da coleta a realização de lâminas de hematologia e teste de anemias, assim como teste de tempo de sangramento e teste de coagulação.

Depois da coleta, a amostra é enviada para a área técnica, onde a triagem é realizada. Neste setor é feito o cadastro do paciente no sistema, a centrifugação das amostras, preparação dos mapas de exames e encaminhamento para os setores responsáveis pela realização do exame. Esse setor é responsável pelo teste de hemossedimentação espontânea (VHS), pelas técnicas de coloração das lâminas e pelo armazenamento das amostras dos exames.              

No setor parasitológico e uroanálise, foram realizados exames macroscópicos e microscópicos da urina. Em um equipamento semiautomático é feita a análise química urinária que analisa 10 parâmetros como a Densidade, pH, Leucócitos, Sangue, Bilirrubina, Proteína, Nitrito, Cetonas, Glicose e Urobilinogênio, por meio da tira Urofita 10DLU. E quando se encontra alguma alteração faz-se a análise microscópica para a confirmação.    

Os exames de fezes podem ocorrer através dos métodos de Ritchie (sedimentação por centrifugação), método de Willis (flutuação espontânea), método de Faust (centrifuga-flutuação), o método Baermann-Moraes (hidrotropismo e termotropismo positivo) e o método de Kato-Kats (filtração). Através desses métodos é possível observar ovos e larvas de helmintos, cistos, trofozoítos ou oocistos de protozoários no microscópio. Deve-se destacar a realização de testes rápidos para a identificação de PSO (sangue oculto).

O setor de bioquímica do Hospital e Clínica São Roque realiza exames como glicemia, colesterol total, triglicérides, LDL, HDL, TGO, TGP, uréase, creatinina, proteínas totais, albumina, ferro, fosfatase alcalina, creatinoquenase, gama gaba GT, magnésio, amilase, PCR, lípase, fósforo e etc, Os testes de K (potássio), NA (sódio), CA (cálcio), FE (ferro), MG (magnésio). Todos esses exames são realizados através do aparelho Cobas íntegra 400 plus que é um analisador químico clínico automático.  Também neste setor, são feitos exames de imunohormônio (os testes de Vidal, VDRL, PCR, FR, Aslo. T3, T4, T4 Livre, TSH, Beta-HCG e Aslo,) no aparelho Cobas 411 e testes rápidos como HIV, HBsAg (hepatite B), HCV (hepatite C), Troponina (marcador cardíaco) e Dengue.        

 

O setor de hematologia é o local onde são feitas as análises hematológicas no aparelho CELL-DYN Ruby que analisa os parâmetros e realiza leituras microscópicas das lâminas com exatidão para contagem diferencial de leucócitos, contagens de hemácias e reticulócitos. Depois da leitura do aparelho, havendo a necessidade, faz-se uma lâmina de hematologia, que é analisada no microscópio, onde é feita a contagem de reticulócitos e leucócitos.  Também pode ser analisada as características das hemácias, contagem manual dos leucócitos ou reticulócitos e liberação de laudos com confiáveis. Além de testes como VHS (hemossedimentação espontânea), GS (tipagem do grupo sanguíneo) e Rh (fator sanguíneo).

São feitas as coletas de outros exames que são encaminhadas para um Laboratório apoio localizado em outro estado.        

Resultado (s) alcançado (s)

O estágio possibilitou que eu colocasse em prática os conhecimentos adquiridos ao longo da graduação. Pude conhecer o funcionamento da instituição de saúde e principalmente dos setores no qual desenvolvi as atividades pertinentes ao profissional biomédico.

Pontos positivos

Interação com a equipe de trabalho, inclusive com a área técnica e com a supervisora, com quem aprendi bastante.

Desenvolvimento da prática no ambiente hospitalar.

Ampliação do conhecimento acerca das técnicas e equipamentos.

Pontos negativos

Não encontrei nenhum ponto negativo.

Conclusão

O estágio supervisionado objetiva aperfeiçoar em caráter teórico-prático a capacitação e a habilitação do estudante de Biomedicina em sua formação profissional, sendo de extrema importância que o aluno tenha em mente a área de atuação a ser seguida futuramente como profissional biomédico.

IV. AVALIAÇÃO

DESENVOLVIMENTO DO ESTÁGIO

Em que nível o conhecimento teórico recebido na IES tem contribuído no desenvolvimento do seu estágio?

Não tem contribuído

Pouca contribuição

Tem contribuído moderadamente

Tem contribuído muito

X

SUPERVISÃO RECEBIDA DA EMPRESA CONCEDENTE

Insuficiente ☐                               Regular ☐                               Suficiente X

...

Baixar como (para membros premium)  txt (7.4 Kb)   pdf (213.6 Kb)   docx (96.4 Kb)  
Continuar por mais 4 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com