TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Para onde vai a tga?

Por:   •  16/11/2015  •  Trabalho acadêmico  •  1.307 Palavras (6 Páginas)  •  686 Visualizações

Página 1 de 6

A ERA DA INFORMAÇÃO - MUDANÇAS E INCERTEZAS;

A era da informação foi à era das mudanças e incertezas, causadas pelos avanços tecnológicos que teve difusão a um meio de comunicação pela informática e pela internet, no final do século XX, como veremos melhor nos próximos tópicos.

A INFLUENCIA DA ERA DA INFORMAÇÃO

A Tecnologia da Informação influenciou diversos âmbitos empresariais, como a compressão do espaço empresarial, onde as organizações sofreram reduções de espaço. A compactação de arquivos eletrônicos reduziu o espaço de documentos, quando os mesmos, foram substituídos por arquivos virtuais dispensando grande parte do papelório. Houve também influencia na comunicação, pois a mesma se tornou mais rápida com a ajuda de aparelhos móveis, flexíveis e em tempo real.  Com todas essas mudanças e outras mais, a informação se torna a principal fonte de energia de uma organização.

OS DESAFIOS DA ERA DA INFORMAÇÃO

A Era da Informação alterou contextos e também trouxe problemas para as organizações, que surpreendeu empresas despreparadas para a nova realidade, integrando uma nova forma econômica em suas atividades, como o conhecimento, digitalização, virtualização, molecularização, integração, desintermediação, convergência, inovação, produ-consumo, imediatismo, globalização e discordância. Com tamanha mudança surgiram várias técnicas de intervenção e abordagens inovadoras de mudança organizacional.

MELHORIA CONTÍNUA

A melhoria contínua teve inicio com a Teoria Matemática, que visou desenvolver os processos de mudança de baixo para cima centrada nas atividades em grupo de indivíduos. Visava a qualidade dos produtos a partir das pessoas.

KAIZEN

O kaizen é uma filosofia de origem japonesa e possui o significado de melhoria contínua, ou seja, se trata do processo diário de melhoramento dos funcionários dentro da organização. Embora o kaizen se derive da melhoria contínua, ele também visa maximização da produtividade e da rentabilidade, e consequente redução de custos. O kaizen foi o primeiro movimento holístico que teve sua atenção enfatizada na importância das pessoas e das equipes contanto com a participação e conhecimentos de todos os funcionários e não em equipes de especialistas, assim o kaizen induz pessoas incentivadas a pensar.

QUALIDADE TOTAL

A qualidade total se dá em decorrência da melhoria contínua. Todos os conceitos de qualidade total estão na figura do cliente, que pode ser interno ou externo, constituindo o núcleo da qualidade total. Enquanto a melhoria contínua se aplica no nível operacional, a qualidade total se aplica na organização como um todo. Tanto a melhoria contínua quanto a qualidade total visam incrementar a qualidade dos produtos e processos de formas ótimas, e ambas seguem processos compostos por etapas. Os funcionários quem são responsáveis pelo alcance dos eminentes padrões de qualidade. Portanto, o controle rígido da burocracia cede lugar para o controle coletivo das pessoas envolvidas, as quais tem espaço para tomadas de decisões que geralmente seriam dadas aos gerentes. Sendo assim, a habilitação dos funcionários também é dada para resolverem os problemas dos clientes sem consumir o tempo do gerente. Esse conjunto de circunstâncias da qualidade total, estão baseadas no empoderamento (empowerment) das pessoas, e trás uma diferença significativa na melhoria dos serviços e produtos, satisfação dos clientes, em redução de custo e tempo, trazendo economias para a organização e satisfação das pessoas envolvidas.

REENGENHARIA

A reengenharia significa fazer uma nova engenharia na estrutura organizacional, transformando todas as camadas da organização e não apenas na camada de processos. Não tem pretensão de melhorar os processos já exigentes, mas sim a substituição por processos inteiramente novos. Não devemos confundir a reengenharia com a melhoria contínua, pois a reengenharia visa criar novos processos, métodos e técnicas baseados na tecnologia da informação, já a melhoria contínua visa o aperfeiçoamento gradual e prolongado dos processos já existentes. A reengenharia preocupa-se em fazer cada vez naus com cada vez menos, utilizando as pessoas, a TI e processos.

BENCHMARKING

Benchmarking é um processo de pesquisa que permite aos administradores realizar comparações de processos e práticas, para identificar  o melhor do melhor e alcançar um nível de superioridade ou vantagem competitiva. Pode ser aplicado em qualquer setor de uma organização, do chão de fábrica até a alta direção, produzindo assim, melhores resultados quando implementado na empresa como um todo. Com o banchmarking é possível identificar falhas ou problemas que a organização enfrente e áreas a melhorar, avalia o desempenho da organização de uma forma mais objetiva, utilizando o método de comparação externas, visando sempre desenvolver a habilidade dos administradores de visualizar no mercado as melhores práticas administrativas.

GESTÃO DE PROJETOS

As organizações desempenham algum tipo de atividade, que geralmente envolve operações e projetos, que se entrelaçam, e compartilham de muitas características comuns. Porém, operações e projetos se diferenciam por temporariedade e unicidade. As operações são constantes e repetitivas, enquanto o projeto é destinado a produzir um produto, serviço ou resultado único. A temporariedade não se tem duração definida, mas todos os projetos são finitos. Os projetos são implementados a todos da organização, por vez podem envolver um único indivíduo ou vários. O projeto significa fazer alfo que ainda não fora feito antes, único e singular. Portanto, todos têm etapas de inicio, meio e fim. O fim é alcançado quando os objetivos são atingidos ou quando se tem certeza que os objetivos não se atingirão.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (9.2 Kb)   pdf (95.3 Kb)   docx (14.2 Kb)  
Continuar por mais 5 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com