TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Resenha baseada em escritores filosofos do filme escritores da liberdade

Por:   •  29/6/2016  •  Trabalho acadêmico  •  1.230 Palavras (5 Páginas)  •  224 Visualizações

Página 1 de 5

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR

FACULDADE GUAIRACÁ

PEDAGOGIA

DEBORA THAYLINE KRUTSCH

RELATÓRIO CRITICO: FILME O SUBSTITUTO

GUARAPUAVA

2016

DEBORA THAYLINE KRTUSCH

TÍTULO DO TRABALHO

Trabalho a ser apresentado  o  professor Diego da Luz para obtenção de nota parcial bimestral (2º bimestre) da disciplina de filosofia.

GUARAPUAVA

2016

Relatório critico: O substituto

No começo do filme podemos ver que ele se trata de um “filme de professor”, pois aparece uma lousa escolar, com as escritas de giz, e assim obtém estas palavras “And never have i felt so deeply at once and so present in the world” ou seja “ e nunca me senti tão profundo e ao mesmo tempo tão alheio de mim e tão presente no mundo” (Albert Camus). Nesta frase podemos já entender o enredo do filme.

Onde se confirma a realidade e expressão diluída em um breve resumo de entrevista, chega até ser sarcástico a realidade de alguns, que sonhavam em ser muitas coisas quando jovem. Vendo assim então uma enorme distância entre o ideal romantizado do educador, e aqueles personagens reais do cotidiano a dispor a qualquer profissão, como teve a que relatou que sua mãe era professora e ela jamais iria seguir a profissão dela, mais por necessidade se tornou professora também.

O professor substituto Henry, irá passar um mês lecionando, até acharem um professor, a diretora o avisa que a turma é complicada. Mas já no começo de sua aula acaba enfrentando dificuldades em sala, pois um aluno o desacata e ofende uma colega, Henry fica bravo e o expulsa da sala. Mas esse não foi o único outro aluno o enfrentou perante em toda sala, mais ele com sabias palavras o acalmou e ele voltou no seu lugar. Após a aula a colega que foi ofendida, o pergunta porque ele expulso o um dos aluno, e ele responde porque o primeiro lhe ofendeu e isso eu não aceito em minha aula já o outro é irrelevante o que falam pra mim, por isso não o expulsei. Ou como dizia Sócrates “Há quatro características que um juiz deve possuir: escutar com cortesia, responder sabiamente, ponderar com prudência e decidir imparcialmente”.

Logo após da aula ele sai e vê a mãe brava com uma professora por ela o dispenso da sala, que ela não estava aguentando sua filha em casa, a professora relembra o que aconteceu que a aluna o ofendeu a ameaçou e cuspiu na cara dela. E por fim a errada ainda era professora. Já dizia descartes “Não existem métodos fáceis para resolver problemas difíceis. “ e henry tenta entender com a professora o que aconteceu.

Após o trabalho ele estava indo para sua casa quando a enfermeira o liga e fala sobre seu avô (que sofre de Alzheimer) que estava trancado no banheiro e não queria sair de lá, ele foi no hospital conversou com ele e o acalmou. Logo quando saiu o chingou a enfermeira para não o incomoda-lo que ela era paga para cuidar dele.

Voltando no ônibus o professor o conhece uma adolescente que se prostitui e que na maioria das vezes sofre graves violência, sem o pedir nada em troca o auxilia. Como diz o filosofo Paulo freire “A humildade exprime uma das raras certezas de que estou certo: a de que ninguém é superior a ninguém. ”, Ele hospede a jovem e através do diálogo consegue fazer com que ela mude suas atitudes e passa a ter respeito por si mesmo e para com ele.

Henry lê o que seus alunos escreveram em voz alta para todos, e fica indignado com tanta besteira escrita. Um pedagogo do colégio não aguenta tanta pressão e acaba tendo que tomar o “remedinho feliz“, o oferece para outra colega, o que ela acha absurdo e fala que se preocupa com ele. Kant “Se vale a pena viver e se a morte faz parte da vida, então, morrer também vale a pena...”  E nesse sentindo entendemos o que é o “remedinho feliz”. Logo após vai resolver problemas de adolescentes rebeldes, e ele leva no deboche e mostra a realidade nua e crua.

Ele vai até o hospital visitar seu avô ele o encontra todo molhado sem ajuda e tendo alucinações do passado. Sócrates “Um triste caminho eu sigo, apenas uma companhia eu tenho, caminho escuro e frio, seguindo a única coisa que me faz acalmar, um brilho intenso, que me guia nas noites escuras, em noites que ele não aparece fico só [..]” é assim que o ele estava sentindo no caso a única coisa que henry tinha de precioso era seu avô. O professor sempre tinha alucinações com sua mãe que supostamente se suicidou-se, e ele assim viveu com seu avô.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (7.5 Kb)   pdf (103.2 Kb)   docx (12.2 Kb)  
Continuar por mais 4 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com