TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Resenha do Capítulo: Interlocuções entre a clínica psicológica e a escola no psicodiagnóstico interventivo

Por:   •  23/3/2020  •  Resenha  •  472 Palavras (2 Páginas)  •  2 Visualizações

Página 1 de 2

Nome: Paola de Cassia Molero da Silva  RA: N18886-3

Resenha do Capítulo: Interlocuções entre a clínica psicológica e a escola no psicodiagnóstico interventivo.

  Do Livro: Psicodiagnóstico Interventivo, a evolução de uma prática.

 

Resenha

Logo no inicio do capitulo as autoras, Lucia Ghiringhello e Suzana Lange P. Borges, trazem a questão das queixas apresentadas no encaminhamento da criança que grande parte delas, esta relacionada com o problema na aprendizagem.

Tendo em vista, que o psicodiagnóstico interventivo tem como pressuposto compreender a criança no seu contexto, do qual faz parte a escola. Segundo Brofenbrenner a escola é “um contexto no qual há um padrão de atividades, papéis sociais e relações interpessoais que são experienciados pela pessoa em desenvolvimento”. Deste como é de extrema importância, olharmos a relação da família com a escola e vise versa, para assim compreendermos as expectativas em relação ao papel a ser desenvolvido.

No psicodiagnóstico interventivo, é feita a visita na escola independentemente da queixa trazida pelos pais, pois esta pode nos oferecer uma nova compreensão de como a criança esta relacionada a queixa. Pois é no ambiente escolar que a criança, constrói uma relação social, descobrindo amigos, faz conquistas e muitas das vezes adquiri autonomia, entre outras coisas.

A Visita escolar, ela oferece ao processo do psicodiagnóstico contribuições importantes acerca da queixa apresentada. Avoglia (2006) propõe que na visita escolar observem-se os seguintes aspectos, espaço físico, a higiene do ambiente, a disposição do espaço e do mobiliário, a qualidade dos matérias, e a merenda escolar. É importante lembrar que, durante a visita, é preciso tomar cuidado para que a criança não fique exposta diante dos colegas e seja identificada como aquela que está sendo observada, ou como a criança problemática.

Além disso, é de suma importância que o psicólogo entreviste a professora para conhecê-la e poder compreender, como a mesma percebe o aluno. Outro aspectos importante é o caderno escola, como instrumento do cotidiano e como material da criança, ele expressa as relações entre o professor e aluno, representa a totalidade das relações vividas no cotidiano escolar, é  fundamental olhar o material da criança como um todo, o ideal é pedir que à própria criança o “apresente”, solicitando que vá explicando algumas situações, tais como atividades repetitivas, não realizadas ou realizadas parcialmente e os bilhetes da professora.

Por último, no psicodiagnóstico interventivo é necessário ser feito um relatório que deve conter a queixa inicial, e as nossas impressões acerca do papel da escola no processo de aprendizagem em que a criança se encontra, essa devolutiva é feita através de uma sessão com os pais e a criança, e se houver a autorização dos pais, podemos agendar uma devolutiva a escola.

REFERÊNCIA: GHIRINGHELLO, L. e LANGE, S. Interlocuções entre a clínica psicológica e a escola no psicodiagnóstico interventivo in  ANCONA-LOPEZ, S., Psicodiagnóstico interventivo: evolução de uma prática. Cap. VII. p. 127-142

...

Baixar como (para membros premium)  txt (3.1 Kb)   pdf (63.2 Kb)   docx (7.9 Kb)  
Continuar por mais 1 página »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com