TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

SEMINÁRIO: ENSINO AS ABORDAGENS DO PROCESSO – ABORDAGEM TRADICIONAL

Por:   •  30/10/2018  •  Trabalho acadêmico  •  952 Palavras (4 Páginas)  •  34 Visualizações

Página 1 de 4

[pic 1]

CURSO DE LICENCIATURA EM  MATEMÁTICA

SEMINÁRIO: ENSINO AS ABORDAGENS DO PROCESSO  – ABORDAGEM TRADICIONAL

Ana Cláudia Fernandes de Souza Fonseca

MÁRCIA AMIRA FREITAS DO AMARAL

Volta Redonda/RJ

2018.2

Introdução:

       O autor tem como objetivo caracterizar os tipos de abordagens e mostrar as implicações para a ação pedagógica do professor. Também vai pontuar os itens que podem influenciar na educação, como: homem, mundo, sociedade-cultura, conhecimento, educação, escola, ensino-aprendizagem, professor-aluno, metodologia e avaliação.

ABORDAGEM TRADICIONAL

  • Características Gerais:

A abordagem tradicional não se fundamenta nas teorias empiricamente validadas, mas sim numa prática de educação e a sua transmissão é através dos anos. Esta abordagem inclui tendências e manifestações de muitas variedades.

Esta abordagem é uma concepção e uma prática educacional que foram crescendo com os anos, portanto, é um referencial para outros tipos de abordagens que se originaram desta.

Snyders estudando sobre ensino tradicional, encontrou a necessidade de compreender esse tipo de ensino e quais as suas justificativas. Para ele o ensino tradicional é o ensino da verdade, onde o objetivo é guiar o aluno até ao conhecimento diferencial, como obras de artes, raciocínios, demonstrações, e etc.

Algo importante na transmissão do conhecimento é o especialista, o modelo e o professor.

Para o saber tradicional, o adulto é um ser pronto e “acabado”, e a criança seria então um adulto em miniatura ainda em processo de aprendizagem.

Esta abordagem trata o professor como o centro do ensino, e o aluno é quem executa as ordens do professor.

Saviani caracteriza o professor como o responsável pelo conhecimento passado ao aluno, e se esse aluno adquiriu o conhecimento, independentemente se o aluno teve interesse ou não.

  • Homem:

O homem é o ser que recebe informações o tempo todo, e ele que separa as que são ou não importantes. Ele além de receptor é o transmissor, portanto quando o conhecimento é passado a uma pessoa, pode se propagar de forma fácil.

  • Mundo:

Como falamos no início do texto, o que é passado ao indivíduo pela a abordagem formal é tratado como verdade, então o mundo é externo ao indivíduo. Mas quando o indivíduo for evoluindo, o mundo vai começar a fazer parte dele, através do contato com os modelos, com as ideias, tecnologias, raciocínios, etc.

  • Sociedade-cultura:

A cultura e sociedade são utilizadas de várias maneiras nesta abordagem. Tem o objetivo de formar pessoas eficientes visando que haja domínio sobre a natureza, aumentando as áreas de conhecimento,

Para que o aluno seja aprovado, ele tem que ter atingido o mínimo de conhecimento sobre cultura, e tirar boas notas nas provas e exames aplicados à ele.

Paulo Freire acredita na educação por depósito de conhecimentos, informações e experiências nos alunos.

 Esta abordagem tem uma visão individual do ensino, fazendo com que o aluno não tenha experiência de trabalho em grupo e cooperação.

  • Conhecimento:

Nesta abordagem, o conhecimento é algo sobre o mundo a ser adquirido pelo indivíduo.

Preocupa-se com a experiência já vivida do aluno, com o modelo que vai ser baseado e com lições futuras. Há também preocupação com o produto final, buscando sempre o mais próximo do modelo desejado.

  • Educação:

Durkheim defendia que o aluno ao frequentar a escola, ele pode encontrar modelos para basear na sua formação, e para ele conseguir fazer confronto com esse modelo é necessário a intervenção e orientação do professor.

“A abordagem tradicional é caracterizada pela concepção de educação como um produto.”, diz Mizucami no seu texto.

  • Escola:

A escola é onde se realiza a educação e seu foco estaria principalmente na transmissão das informações através da sala de aula. Émile Chartier defende (Alain,1978) que, é na escola que se raciocina e que se deve manter o ambiente escolar livre de distrações e o professor afastado dos alunos. A escola é parte da vida e o professor, o mediador entre os alunos e os modelos a serem seguidos. As possibilidades de cooperação entre pares são reduzidas, já que grande parte das tarefas dos alunos exige a participação individual de cada um deles.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (6.5 Kb)   pdf (101.8 Kb)   docx (32.2 Kb)  
Continuar por mais 3 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com